segunda-feira, 12 de maio de 2014

O dia


Atrasado
Seguiu o sol do dia
Esperando apanhar a noite, que no final da tarde vinha

Errado
Carregando o cansaço de semana passada
O sono é leve, a obrigação do cotidiano pesada

Perdido
No meio de valores que foram deixados
Amizades vendidas e sorrisos falsificados

Unido
Ao verdadeiro e escasso
A procura é árdua, o medo é do fracasso

Vencido
O oficio e pelo oficio
Aceitando o meio termo, aprendendo que se conformar é difícil

A lua grita
Pela calma que responde
Eu descanso na tua voz
E dou a risada que o medo esconde